O que é Neuromarketing?

Profissionais de marketing devem sempre estar atentos às tecnologias mais recentes, que auxiliam na captação de clientela e definição de planos de ação para aumentar as vendas, a visibilidade do produto, sua inserção no mercado e a aceitação pelos consumidores.

Uma das técnicas mais atuais na área é o neuromarketing, uma nova maneira de criar estratégias e obter dados para a venda de produtos, captar e fidelizar clientes.

A sua base é a realização de estudos sobre o comportamento humano que leva a uma melhor compreensão sobre os motivos que levam à escolha de produtos e marcas, assim como o que está por trás da tomada dessas decisões.

O neuromarketing também estuda como o cérebro reage a determinados estímulos, além dos comportamentos psicológicos que podem influenciar as preferências de quem compra um produto ou serviço.

 

Como são feitos os estudos?

Nas pesquisas de neuromarketing, são utilizados instrumentos para análise do funcionamento do cérebro, como a ressonância magnética, que auxiliam na identificação de gatilhos para as reações obtidas.

Outra vantagem é que sua aplicação não é restrita apenas a investigar o comportamento dos consumidores. Por isso  experiências físicas, virtuais, desenvolvimento de marcas de publicidade e inovação, por exemplo, podem ser beneficiados com as pesquisas na área.

Existem vários métodos para serem aplicados em diversas áreas do marketing que já foram comprovados como eficientes, pelo neuromarketing, para captar a clientela, cinco dos quais você pode conferir abaixo:

 

  • Design da embalagem

Todos sabem que as embalagens são uma das principais maneiras de chamar a atenção do consumidor para seu produto.

O que o neuromarketing provou é que as cores usadas, as fotos e desenhos apresentados, o material utilizado e até as informações sobre os produtos mudam a influência que a embalagem tem na escolha do consumidor.

 

  • Menos pode ser mais

As dificuldades dos consumidores em escolher um produto e as características que esperam ou precisam que ele tenha criam uma grande dificuldade para profissionais do marketing.

Oferecer muitas opções pode causar um fenômeno chamado de “paralisia da decisão”, quando o consumidor acaba se perdendo e não consegue fazer uma escolha.

Pesquisas de neuromarketing ajudam a comprovar que oferecer menos opções pode ajudar nas vendas, o que pode ocorrer, por exemplo, dispondo menos opções do mesmo produto em expositores.

 

  • Medo de perder

As pessoas têm medo de perder, e esse comportamento tem muito mais influência do que a vontade de ganhar.

Essa percepção, comprovada pelo neuromarketing, pode ajudar na realização de ofertas para aumentar vendas: promoções com frases como “Temos poucas unidades” ou “Corra para não ficar sem” são mais eficientes do que “Compre 2 e ganhe mais 2”.

 

  • Rapidez e eficiência

Muitas vezes, uma abordagem publicitária que enfatize o produto por sua facilidade, conveniência e rapidez pode ter muito mais resultados do que ressaltar a confiabilidade dele, por exemplo.

Com o neuromarketing foi possível descobrir que as pessoas preferem ideias de agilidade e eficiência às promessas de segurança.

 

  • O layout ideal

Há relativamente pouco tempo os sites têm adotado um layout baseado na rolagem, de maneira vertical, do que o tradicional horizontalizado.

As influências por trás dessa mudança podem estar em pesquisas de neuromarketing, que provaram que as pessoas conseguem manter interação e leitura por mais tempo com esse sistema.

 

O neuromarketing é uma nova maneira de ver a publicidade e investir na captação de clientes, com estudos que garantem a obtenção de resultados esperados.

Procure conhecer mais essa metodologia inovadora e usufrua dos benefícios que ela irá trazer para seu negócio.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *